terça-feira, agosto 30, 2011

sonhos e sombras



desculpa,

desculpem.

não consigo.



enquanto existir

este hiato de vida,

não existo eu.



eu forço-me a saír

desta bolha de espaço-tempo,

deste universo paralelo,

mas não sou eu quem sai,

são sonhos e sombras de mim.



eu...

espero com todo o meu eu

conseguir existir.


desculpa,

desculpem.

não consigo.


não sei onde nem quando vou existir.

quarta-feira, agosto 24, 2011



não comento coincidências da vida

apenas me alegro com elas, afinal

a cavalo dado não se olha o dente

e, o de repente, nunca é intemporal.



se não fixar o momento, ele prossegue

dura apenas um instante e desvanece


perde-se o tempo e a palavra no comentar

mas o momento que se fixa não se esquece.

sexta-feira, agosto 05, 2011

aparento um ar sereno, disseram-me
mas cá por dentro, perdi o norte
então, sorrio
Partilhar