sexta-feira, abril 22, 2011

Ponto Sem Retorno



As vezes posso não parecer aquilo que sou, mas acho que isso se resume a não aparentar a imagem que têm de mim, ou a não corresponder todos os dias ao mesmo estado de espírito com que sou catalogada. Principalmente quando ando na rua de chinelo no pé, roupa de treino e sem maquilhagem o que, em termos de opinião alheia é quase o equivalente a entrar em depressão profunda.


Por razões profissionais passei do 8 a 80 em pouco tempo: deixei de me maquilhar, para andar de carinha ao léu, deixei de usar cores vivas, para abusar do preto e deixei de viver a 100km/hora para viver de vagar, de vagarinho. Resultado, faz-me confusão ver-me maquilhada, mas estou rodeada por quem não sai à rua sem maquilhagem, sou demasiado casual em ambientes em que a imagem marca a diferença, estou a recomeçar a combinar cores e padrões e os horários rígidos passaram a ser uma linguagem estranha, desde que deixei de contar minutos e tive de me habituar a parar no tempo.


Não sei para que lado me hei-de virar, mas estou piamente à espera do ponto de viragem. Correr atrás dele já não me realiza. Já o fiz, já me concretizei, mas agora, não é nada que me surpreenda. O que tiver de ser e o que eu tiver de ser, terá de ser aqui.

quarta-feira, abril 13, 2011

O Beijo


o beijo perfeito é um sonho

e a perfeição

um limite infinito


só o sonho não tem limite


diz que tendemos para a perfeição

mas que só a atingimos em sonhos


eu gosto do beijo que fala calado

e que não tem pressa


a pressa é inimiga da perfeição


tenho pena do beijo vazio

de certo nunca sonhou

sexta-feira, abril 08, 2011

Marias


Maria Mar foi p'ra sopeira

por não saber falar de cor

soube que o pai a achava feia

e que não agradava o senhor


Maria Preta sonhava um dia

fugir dali com o seu amor

ele não arriscava e não queria

tentar uma vida melhor


Maria Rita ceifeira

ceifava com sangue e suor

ela queria ser cantadeira

como as moças do televisor


Maria Zé que não comia

p'ra caber no fato melhor

ela era infeliz e não via

que a beleza não está na dor
Partilhar