quinta-feira, maio 07, 2009

Poema para as Carinas que vão


Foste quando o teu sorriso ainda era de Sol
e os teus sonhos eram tecidos de esperança.

Fazes-nos pensar nas idas e vindas da vida

e acreditar que aquilo que é não deixa de ser,

talvez porque aquilo que é dura para sempre,

ou porque deixar de ser é algo que custa a crer.


Eu creio que um dia me trarás as pulseiras que te pedi da Etiópia,

e que te visitarei um dia numa ilha distante, tal como te prometi.


Sofia
Partilhar